Semicondutores – O núcleo da Internet das Coisas


Em um mundo cada vez mais tecnológico e conectado, os aparelhos eletrônicos abrangem as mais diversas funções e precisam de sistemas de qualidade para suprirem as demandas de eficiência, portabilidade, segurança e baixo custo condensadas em um único chip.

Segundo pesquisa da Nasdaq, os investimentos em semicondutores tendem a crescer vertiginosos 9.7% entre 2014 e 2019 no setor industrial. Já na área da saúde, o avanço será de 12.3% até 2018. No automobilístico, 5.8% é a previsão para 2022. Se somarmos essas três áreas, em números brutos, teremos bilhões de dólares em investimentos em semicondutores que provam que o futuro será fundamentado em tecnologias cada vez mais avançadas e minimalistas.

E é na Internet das Coisas que os semicondutores terão mais espaço para crescer e se desenvolver, como células embrionárias desse novo sistema. Em estudo da McKinsey, é constatado que em 2020 teremos de 26 a 30 bilhões de aparelhos IoT no mundo, um aumento de 15-30% em comparação com 2015. Os smartphones, por exemplo, apresentarão um aumento de 6%. Os dados substanciais, porém, estão em segmentos mais inovadores. As Tvs HD ultra 4K tem prognóstico de crescimento de 105%; peças de vestuário (trajes de corrida tecnológicos com 60% e relógios inteligentes com 15%) com 39%; “Smart Home”, o conceito de casa com câmeras WI-FI, trancas eletrônicas, termostato, detectores inteligentes de CO2 e fumaça, entre outros acessórios, terão aumento de 29%.

Tecnologias mais novas e ainda não tão bem fixadas também tem sua parte nessa evolução, com prospectos animadores. Os drones tem uma previsão de crescimento de 112%, a tecnologia VR (Realidade Virtual) de 296%, assistentes ativados por voz de 32% e impressoras 3D com 56%. Esses dados mostram que mesmo que essa indústria soasse vagarosa, há diversas oportunidades prontas para serem escolhidas. “Mesmo com o amadurecimento da indústria de semicondutores, as inovações não estão desacelerando. Pelo contrário, serão cada vez mais rápidas nos próximos anos”, conclui José Scodiero, CEO e fundador da Fast Company Brazil.

Scodiero complementa: “A projeção é que os semicondutores devam testemunhar um crescimento razoável nos próximos anos, podendo atingir o número de US$655.6 bilhões em 2025 , número que em 2015 estava em torno de US$342.7 bilhões. Voltados especificamente para IoT, a expectativa é de US$114,2 bilhões em 2025, sendo que hoje esse número é de apenas US$27,6 bilhões.”

A indústria de semicondutores é um indicador do progresso tecnológico da sociedade mundial. Seus avanços mostram como são regidas as formas de trabalho, transporte, comunicação e entretenimento. Para saber mais sobre o assunto, acesse http://www.fastcompanybrazil.com.br/semicondutores-qual-o-futuro-da-industria/

Leia mais em: IoT no Brasil: Segurança ainda é um problema
Como o ensino de programação a estudantes pode mudar o futuro das escolas do país



Sign up to our list and receive exclusive content.

* indicates required