Internet das Coisas e Suas Diversas Aplicabilidades

Empresas e governos investem altas cifras no desenvolvimento de tecnologias inovadoras para os mais variados campos da indústria, sociedade civil e do agronegócio. Entretanto, ainda há muito espaço para o crescimento de conceitos, entre eles a Internet das Coisas (IoT), que apresenta uma gigantesca área cinzenta em suas aplicabilidades e conectividade prática. Entretanto, existem algumas utilizações eficientes dessa ideologia, com benefício real para todos os envolvidos no processo.

Um exemplo de sucesso vem de um lugar pouco destacado no mercado internacional de tecnologia, a Austrália. Nas minas Yandicoogina e Nammuldi, da empresa Rio Tinto, existem caminhões de mineração (aqueles colossais) que são controlados remotamente. Incorporados ao processo em 2012 (sendo os primeiros, globalmente, a realizar isso), esse maquinário pesado, depois dessa mudança, aumentou a produtividade das minas em 12%, trabalhando aproximadamente 500 horas a mais que o convencional, além de fornecer maior segurança aos funcionários, que, antes, como protocolado nessa etapa da extração, deveriam guiar, com carros de apoio, o caminho que devia ser percorrido por esses caminhões. Essa manobra é extremamente perigosa – No Chile, grande parte das mortes nesses ambientes deve-se aos atropelamentos advindos desse direcionamento.

Um dos medos mais corriqueiros quando se pensa na automação de processos é o do desemprego em massa. A Rio Tinto, em pronunciamento oficial, reproduziu a tendência consequencial mundial da incorporação da IoT: “Vagas para motoristas estão sendo reduzidas, mas os profissionais estão sendo relocados para outras atividades, como manutenção, otimização do sistema, controle remoto de unidades… Temos empregos agora que não existiam há 5 anos e que são essenciais para a execução do sistema autônomo”.

Também nesse contexto, o drone, devido à sua mobilidade, alcance e custo, tem diversos usos possíveis para vários setores econômicos e governamentais. Um caso brasileiro de uso desse equipamento é através da Polícia Militar. Em Oliveira, Minas Gerais, a PM investiu dez mil reais em drones para missões de monitoramento após o sucesso do aparelho em outro município desse mesmo Estado, Lavras, em que, após uma denúncia, realizou um voo sobre uma casa suspeita e encontrou 26 pés de maconha. Os drones estarão disponíveis, além da PM, para o Corpo de Bombeiros, para localizar focos de emergências.

Ainda é pequena a progressão da IoT nas realizações do cotidiano, mas o horizonte é vasto de possibilidades e a expectativa é que sua incorporação aos sistemas seja total em poucas décadas, impulsionada pelo ideário de maior comodidade para as pessoas e eficiência nas dinâmicas econômicas.

Leia mais:
IoT in Brazil: Security is still a problem
Inteligência Artificial aplicada ao combate de fraudes



Sign up to our list and receive exclusive content.

* indicates required