Como o ensino de programação a estudantes pode mudar o futuro das escolas do país

A educação no Brasil abrange diversas vertentes polêmicas. Existem pais que apoiam escolas construtivistas  e outros, como o colunista da folha Ruy Castro, promovem o estudo tradicional: “Enquanto no Brasil discutimos ideologia, Portugal há anos começou a privilegiar o ensino de português e matemática em suas escolas. Sem ler ou escrever direito, ninguém chegará à história e à filosofia. E sem uma forte base matemática, ninguém dará para a saída no mundo cibernético”, afirma Castro.

O que o colunista provavelmente não imagina é que o mundo cibernético, em um futuro muito próximo, não precisará mais de uma base de outras matérias para ser aprendido. É inevitável que a programação vire uma prática escolar, tendo a mesma ou até mesmo maior importância que outras matérias.

Especialistas em tecnologia, educadores e engenheiros defendem a inserção do ensino da programação na grade escolar como uma forma de compreender o que está por trás de todas as tecnologias que temos acesso, além de contextualizar o aprendizado adquirido na escola. Dessa forma, por programação, os alunos aprenderiam matérias como matemática, e português e não ao contrário, como sugeriu Ruy Castro.

Para apoiar esta ideia, a BBC, uma das mais importantes companhias de rádio e TV do Reino Unido tomou uma iniciativa rumo a este tipo de aprendizado. O Micro:bit é um dispositivo criado especificamente para ensinar programação para crianças. Sua tecnologia conta com ARM de 32 bits e baixo consumo de energia, porta micro-USB, acelerômetro, bússola, Bluetooth, dois botões programáveis e cinco conexões I/O. A empresa pretende distribuir 1 milhão de unidades gratuitamente até o final de 2017 e conta com o apoio da Microsoft, ARM e Samsung para isso.

Muitas personalidades e influenciadores do mundo apoiam o ensino de programação em escolas. Celebridades como o Ator Ashton Kutcher também defendem que a codificação de computadores deveria estar lado a lado com matérias tradicionais como biologia, química e física. Confira o vídeo onde Mark Zuckerberg, Bill Gates e Jack Dorsey aparecem divulgando uma ONG destinada a ensinar linguagem de programação de forma fácil e gratuita: https://www.youtube.com/watch?v=nKIu9yen5nc

Como consequência da repercussão deste vídeo, escolas na Europa apostaram na nova disciplina, assim como grandes colégios particulares brasileiros. A tendência é que cada vez mais se torne uma prática comum a ponto de virar uma matéria obrigatória no currículo escolar. Você está preparado para ter um filho inserido em TI?

 

 



Sign up to our list and receive exclusive content.

* indicates required